Carnaval 2020

Enredo

SINOPSE COMPLETA

“Xô Preconceito, Queremos Respeito”

Autoria: Aureliano Neck, Nonato Soledade e Meio Dia da Imperatriz 

Intérpretes: Aureliano Neck (oficial), Tinga (Vila Isabel – RJ), Bakaninha (Beija Flor – RJ), Glauber Bianck, Vlad Júnior, Junhão Belém e Nilson Estilizados.

Racismo ou Preconceito Racial: é a tendência do pensamento, ou do modo de pensar em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras. Onde existe a convicção de que alguns indivíduos e sua relação entre características físicas hereditárias, e determinados traços de caráter e inteligência ou manifestações culturais, são superiores a outros. O racismo não é uma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré-concebidas onde a principal função é valorizar as diferenças biológicas entre os seres humanos, em que alguns acreditam serem superiores aos outros de acordo com sua matriz racial.

No Brasil, a Constituição de 1988 tornou a prática do racismo crime sujeita a pena de prisão, inafiançável e imprescritível e mesmo assim muitos insistem em praticar o racismo no Brasil, que atualmente ficou mais visível través das redes sociais, onde muitos indivíduos negros são ofendidos no espaço virtual, colocando por terra o mito da democracia racial brasileira.

Durante o século XX, vários sambistas sofreram com preconceito, como João da Bahia, Heitor dos Prazeres e “conga”, que por mais que andassem bem alinhados, foram perseguidos e marginalizados por conta de uma herança da descriminação contra os negros, ainda dos tempos da escravidão.

Já em Macapá surgiu o MARABAIXO, uma dança de origem africana, que com o passar do tempo foi perdendo força, e passou a ser combatida durante o governo de Janary Gentil Nunes, que via nesta manifestação cultural, uma forma primitiva de danças de pretos. Contudo a força dos ancestrais e a vontade de um povo guerreiro, não deixou a manifestação cultural do MARABAIXO morre e hoje voltou a ser fortalecer no bairro do laguinho.

Preconceito Religioso: é a discriminação entre crenças religiosas que não aceita a diversidade de cultos e manifestações, as que mais sofrem esse tipo de violência são as de matriz africana, devido ao seu dialogo com o sagrado envolver o tambor e o sacrifício de animais.

Sexíssimo: é a discriminação ou tratamento indigno a um determinado gênero, ou ainda a determinada identidade sexual. Alguns indivíduos acreditam que o seu sexo o faz superior ao outro, neste caso relacionado ao homem, e a mulher. Em relação ao preconceito contra mulheres, diferencia-se do machismo por ser mais consciente e pretensamente racionalizado, ao passo que o machismo é um muitas vezes um comportamento de imitação social.

Homofobia: é um termo criado para expressar o ódio, aversão ou a discriminação de uma pessoa contra homossexuais ou homossexualidade. Estimulada por brincadeira, piadas e atitudes, este tipo de preconceito gera uma desigualdade social que limita a participação dos indivíduos nos espaços de trabalho e convivência social de forma digna.

No entanto, ainda temos diversas formas de preconceitos, desde aqueles eu atingem pessoas foras dos padrões estéticos aceitos como normais, seja pel magreza, pela obesidade, pela estatura muito alta ou muito baixa, e pelas feições estéticas faciais, sem falar dos deficientes físicos e os idosos que sofrem muito com o Preconceito.

O Estilizados abre as portas para todos e todas, sejam eles Homossexuais, Gordos, Deficientes, Pobres, Homens ou Mulheres, Crianças e Velhos de todas as raças, crenças e religiões.

É das brincadeiras e palavras mais inocentes que dão inicio a desigualdade social e, às vezes, é melhor ter consciência para não ofender alguém, que pode ser o seu amigo, parente ou irmão de luta. Agindo dessa forma, contagiaremos os nossos amigos e parentes e construiremos um amanhã de Respeito para todos e todas, onde a vida do ser humano será única, mas respeitadas na sua diversidade da sociedade brasileira.

Por isso, afirmamos que toda forma de preconceito é prejudicial para a cidadania, por desrespeita as singularidades humanas, que são importantíssimas na diversidade cultural da nossa sociedade brasileira e amapaense.

Junte-se a nós e tire seu PRECONCEITO do caminho, que ESTILIZADOS vai passar.

 

Shows Recentes